segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Admcl Brighton e Hove Vem ai a Grande Virada



Paz! É com grande prazer que convidamos você e sua família para participarem conosco do culto da virada, o qual se realizara no próximo dia 31 12 na Admcl Brighton ë Hove, você é nosso convidado especial! Secretaria Admcl Brighton e Hove

A Historia de Abdul Saleebe

Meu nome é Abdul Saleeb. Nasci e fui educado em um país muçulmano do Oriente Médio. Apesar de ter vivido numa sociedade muçulmana muito conservadora, cresci numa família um tanto liberal. Além disso, minha educação muçulmana foi única devido ao sério envolvimento da minha mãe com o islamismo. Então eu posso confessar honestamente que tive experiências de primeira mão com cada aspecto dos movimentos islâmicos contemporâneos. Pessoalmente, não me considerava muito religioso. Já cheguei até a me voltar para as ideologias marxistas, achando que elas poderiam providenciar soluções reais para as doenças sociais do meu país. Mesmo assim, ao longo de todo esse tempo, nunca duvidei dos fundamentos da minha fé religiosa. Eu via o islamismo como uma fé com ideais tão nobres, que não me considerava digno de ser chamado "muçulmano", mas eu acreditava de todo coração que o islamismo era a última e mais perfeita religião estabelecida por Deus para toda a humanidade, baseada na revelação final do Senhor, o Alcorão, e que o profeta Maomé era o selo da profecia. Minha visão acerca das demais religiões (especialmente o judaísmo e o cristianismo) era a de que, apesar delas serem basicamente as mesmas já que foram reveladas pelo mesmo Deus, eram todas inferiores ao islamismo porque todas elas tiveram diversos graus de corrupção da mensagem original de seus profetas fundadores, algo que nós, muçulmanos, não fizemos.
Minhas visões religiosas foram radicalmente mudadas quando deixei meu país por causa do "turbulência" civil e fui para a Europa, a fim de continuar meus estudos. Por providência divina e por diversas circunstâncias, acabei me matriculando numa Escola Internacional Cristã.
Uma pergunta que fiz ao meu professor revolucionou a minha visão de mundo. Eu perguntei, "Como é possível a sua palavra de Deus dizer uma coisa e a nossa palavra de Deus dizer algo tão diferente?" Meu professor, que não sabia muito sobre o islamismo, gentilmente perguntou, "Como você sabe que o Alcorão é a Palavra de Deus?" Fui surpreendido por aquela resposta. Eu vivia em um mundo em que as pessoas simplesmente pressupunham que o Alcorão foi ditado palavra por palavra por Deus ao profeta Maomé e ninguém nunca questionava esta afirmação. Aquele breve encontro me forçou a começar uma jornada. Eu me engajei durante horas com meus amigos cristãos em discussões cordiais e debatia sobre a honestidade e veracidade da fé cristã.
Cristianismo e Islamismo

Como quase todos os muçulmanos, minha reação original às afirmações dos cristãos a respeito de Jesus Cristo era de extremo choque. Aquelas afirmações não somente pareciam claras blasfêmias, como também eram absurdas. Como pode qualquer ser racional acreditar em coisas como aquelas a respeito de um profeta honrado por Deus? Apesar das diferenças teológicas entre nós, havia algo na vida daqueles amigos que me causavam uma boa impressão. Havia uma sinceridade no relacionamento deles com Deus e com as pessoas com a qual eu nunca havia me deparado. Então, freqüentemente dizia aos meus amigos que não queria negar a fé deles, mas apenas queria chegar a um acordo para que eu pudesse me agarrar à verdade do islamismo e eles pudessem continuar com a fé que tinham.
De qualquer forma, eu não tinha dúvidas de que a fé deles em Cristo estava baseada em frases que o profeta Jesus não havia realmente dito sobre si mesmo. Minha dificuldade para entender a fé cristã estava muito mais relacionada com as linhas que, historicamente, separaram o islamismo do cristianismo.
Eu não concordava de jeito algum que a Bíblia, especialmente os documentos do Novo Testamento, era confiável quando o assunto era relatar as palavras proferidas por Jesus. Qualquer coisa na Bíblia que descordasse com o Alcorão era automaticamente rejeitada, por ser considerado um ensino corrupto da Bíblia.
Minha jornada espiritual durou meses. Muitas vezes eu encontrava conforto no Alcorão, mas acabava achando mais questionamento que respostas naquele livro. Por exemplo, o tom violento da maioria das passagens do Alcorão (especialmente contra os incrédulos, mas também contra judeus e cristãos) começou a me incomodar quando comparado com a ênfase dada ao amor no Novo Testamento. Uma passagem em particular que me incomodou, principalmente por causa da minha boa amizade com muitos cristãos, foi Sura 5:51:
"Ouve aquele que acredita! Não tenha judeus ou cristãos como amigos e protetores; eles são amigos e protetores apenas uns dos outros. E se você se torna amigo deles, é como um deles. Verdadeiramente, Deus não guia pessoas injustas."

De qualquer modo, a parte mais preocupante do Alcorão tinha a ver com o caráter do próprio profeta Maomé. De acordo com "Sura 33;37", Deus puniu Maomé por ele ter desejado se casar com a esposa divorciada de seu próprio enteado, "a fim de que (no futuro) não houvesse dificuldades para os fiéis entenderem que não é permitido que haja casamento com as esposas de seus respectivos filhos adotados, quando os últimos tiverem dissolvido formalmente seu casamento com elas. E a ordem de Deus deve ser cumprida."
Eu lembro claramente da primeira vez que eu cruzei com esse versículo nos meus estudos do Alcorão. Eu comecei a chorar com grande desgosto e vergonha. Durante toda a minha vida eu ouvi dizer que Maomé foi o profeta mais perfeito que existiu, um exemplo moral para a humanidade, mas o Alcorão mencionava que um bom número das "revelações" feitas por Deus a ele poderia ser de extremo proveito para o próprio profeta!
Cristianismo ou Islamismo
Eu imediatamente escrevi uma carta para minha mãe, com algumas das perturbadoras questões com as quais eu estava me deparando. A resposta que eu recebi para a minha carta de um dos líderes religiosos mais conhecidos do meu país foi que eu deveria apenas continuar meus estudos seculares, sem me prender muito à religião. Por outro lado, conforme meu entendimento sobre a Bíblia ia crescendo, muitas das minhas perguntas começaram a ser respondidas. Mesmo sendo um muçulmano, passei a acreditar que a crucificação de Cristo foi um indiscutível fato histórico, que nenhuma pessoa honesta acostumada a lidar com as evidências da História poderia negar.
O próprio caráter de Cristo, como foi evidenciado, por exemplo, em Seu belo Sermão da Montanha, foi gradualmente causando uma impressão maravilhosa em mim. Mas, na minha opinião, o fato mais impressionante a respeito de Cristo foi a multidão de profecias no Velho Testamento acerca da vinda do Messias. Algumas dessas profecias são tão específicas e elas se encaixam na vida de Jesus tão detalhadamente que é incrível, para mim, perceber como Deus levou centenas de anos na história dos judeus para preparar a vinda do Messias; as profecias abrangeram desde os ancestrais do Messias, a maneira e o local onde nasceu, Sua vida e ministério até as circunstâncias que envolveram a Sua morte por crucificação. Eu estava muito atraído por Cristo, apesar de não poder ainda negar minha própria tradição e passado. Tornar-me um cristão pareceria uma traição definitiva à minha própria família e à minha herança islâmica. A tensão na minha vida era tão forte que eu me senti rasgado em duas partes, como se estivesse literalmente dividido entre essas duas fés.
Mas eu ainda não podia acreditar que Jesus era qualquer coisa além de um simples ser humano. Já que Ele nunca disse explicitamente: "Eu sou Deus e vocês devem me adorar", as afirmações dos cristãos acerca de Jesus estavam baseadas em especulações e em Evangelhos historicamente desconfiáveis. Certamente, as inacreditáveis frases atribuídas a Jesus foram inventadas pelos novos cristãos e colocadas na boca de Cristo.
Um Muçulmano se Converte
Em meio a toda essa angústia e todos esses pensamentos, eu acordei em uma certa manhã e fui repentinamente surpreendido pelo significado de um versículo escrito pelo profeta Isaías no nono capítulo do livro bíblico de Isaías. Eu tinha lido esse versículo várias vezes antes daquela manhã, mas nunca havia entendido seu significado. Em Isaías 7.14, nós lemos:
"Então o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá , e dará à luz um filho, e Ele será chamado Emanuel."
Isaías continua, então, a escrever no capítulo 9:
"(...) mas nos últimos tempos Deus fará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia dos gentios. O povo que andava em trevas viu uma grande luz; e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a luz (...) Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre."
Eu não podia acreditar naquilo! O fato de que o Messias não seria apenas um profeta, mas o Todo Poderoso Deus em pessoa, era então a verdade que foi profetizada no Velho Testamento há mais de 700 anos antes de Cristo nascer, e não algo que os cristãos inventaram muitos anos e séculos depois de Cristo! Era a própria promessa de Deus de que Ele viria em carne (Emanuel=Deus conosco) e que estabeleceria seu Reino, o qual durará eternamente.
Eu meu tornei cristão no dia seguinte, em 20 de janeiro de 1985. Chorei incontrolavelmente enquanto orava e colocava em Cristo a minha fé. Eu não sabia por que, mas apesar de eu nunca ter sentido muita sobrecarga de culpa, estava sentindo uma sensação de paz maravilhosa e um alívio imenso do peso de meus pecados. A sensação de descanso por finalmente ter encontrado a verdade sobre Deus e Sua revelação de amor à humanidade através de Jesus Cristo me trouxe uma satisfação incrível. Um livro que me ajudou tremendamente (e a muitos outros muçulmanos amigos meus que vieram a se tornar cristãos quase ao mesmo tempo em que eu) a responder uma série de questões acerca da divindade de Cristo e da confiabilidade do Novo Testamento foi "Evidências que exigem um veredicto", de Josh McDowell. Eu recomendo muito esse livro.
Logo depois da minha conversão, decidi dedicar minha vida inteira a propagar as Boas Novas de Cristo entre os Muçulmanos, especialmente às pessoas do meu país. Recentemente, vim aos EUA para receber meus diplomas em Estudos Bíblicos e Teológicos. Eu também sou co-autor de um livro chamado "Respondendo ao Islamismo: Crescendo à luz da cruz."

Abdul Saleeb, Ramadã de 1996

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal Happy Christmas Joyeux Noel 圣诞快乐

Paz!

Nos da Admcl Brighton & Hove desejamos um Feliz Natal a todos que Deus em Cristo possa vos abençoar com toda sorte de bênçãos, e que nesta data o nascimento de Jesus possa estar em evidencia no coração de todos.

Família Admcl Brighton & Hove

Feliz Natal- Portugues
Happy Christmas- English

Joyeux Noël-Frances

Շնորհավոր Սուրբ Ծնունդ Armenio

圣诞快乐 Chines

Veselé Vianoce Eslovaquia

Καλά Χριστούγεννα Grego

हैप्पी क्रिसमस Hindi

Furaha ya Krismasi Suahili

Feliz Navidad Spanish

Buon Natale Italian

ハッピークリスマス Japones

Wesołych Świąt Polones
Selamat Natal Indonesia
God jul Sueco

Frohe Weihnachten Germany

메리 크리스마스 Coreano

Счастливого Рождества Russo

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Culto Especial de Natal !


Desafio das Igrejas no Reino Unido



Igrejas do Reino Unido têm nos britânicos os seu maior desafio

Ao longo dos séculos 18 e 19, a Inglaterra era a grande protagonista da obra missionária mundial. Foi das Ilhas Britânicas que levas de evangelistas saíram a ganhar almas para Cristo nos quatro cantos da Terra. Coração de um vasto império colonial que se estendia da América do Norte à Oceania, do extremo Oriente às selvas africanas, a Grã-Bretanha foi o berço de gente como os irmãos Wesley, John e Charles, cuja experiência de avivamento haveria de mudar a face do Cristianismo moderno. A eles se seguiram notáveis missionários, como Willian Wilberforce, David Livingstone, Hudson Taylor e tantos outros súditos da Coroa inglesa que dedicaram suas vidas à missão de tornar o Evangelho conhecido mundo afora. Contudo, o mesmo John Wesley, morto em 1791 e autor da célebre frase “O mundo é minha paróquia”, sentiria calafrios diante da situação espiritual de sua pátria três séculos depois de seu frutífero ministério. Secularizada, permissiva e materialista, a sociedade britânica deste início de milênio parece clamar a mesma indagação feita por ele ao regressar de uma de suas viagens missionárias: “Saímos a converter o mundo, mas quem nos converterá?”
Integrante do seleto grupo das mais poderosas nações do mundo, o Reino Unido, formado por Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales, viu sua temperatura espiritual esfriar ao longo de todo o século 20. Já no Pós-Guerra, sua influência mundial era muito mais política e econômica do que religiosa, embora ali tenham surgido duas das mais importantes denominações da cristandade, o Metodismo e a Igreja Anglicana. A pós-modernidade se encarregou de jogar uma pá de cal na devoção dos ingleses a Deus. Hoje, segundo pesquisa realizada pelo Centro Nacional de Pesquisa Social do Reino Unido, 52% da população nacional dizem não pertencer a nenhuma religião. O número revela uma queda de quarenta por cento desde 1983, quando levantamento semelhante foi feito no país. Já outra pesquisa, esta levada a cabo pelo próprio governo britânico em 2001, revela que metade dos adultos com idade acima de 18 anos nunca participou de um culto. Mais – este mesmo contingente admite que conhece muito pouco do Cristianismo ou que não concorda com suas bases teológicas.
Instituições cristãs genuinamente inglesas, como o Exército de Salvação, têm sentido na pele essas mudanças e reconhecem que perderam ao longo dos anos a essência da prática do evangelismo. Criado em 1865 pelo general William Booth, o movimento salvacionista expressa em seu lema – “Sopa, sabão e salvação” – a preocupação em socorrer o homem na plenitude de suas necessidades do corpo e da alma. Com o passar do tempo, no entanto, a visão de ajuda social ficou mais forte que o caráter espiritual. Hoje, o Exército de Salvação é reconhecido pela ajuda humanitária que presta aos carentes e às vítimas de tragédias. Mas seus cultos atraem pouca gente. Major é pastor de uma igreja salvacionista na cidade de Luton, a 50 quilômetros da capital inglesa, Londres, David G. Ryder conta que é difícil alcançar as pessoas para Cristo. “Temos tentado adaptar nosso trabalho à realidade das novas gerações, mas é tarefa de formiguinha”, resigna-se.
EsfriamentoA queixa é compartilhada por igrejas tradicionais do país, que estão cada vez mais vazias. E para perceber isso não é preciso nenhuma pesquisa. O último grande momento em que os ingleses se sentiram abalados espiritualmente foi com a morte da princesa Diana, em 1997. Diante da morte trágica da popularíssima ex-mulher do príncipe herdeiro Charles, os templos ficaram lotados – talvez, muito mais numa expressão de comoção nacional do que de verdadeira devoção. Nada, contudo, que abalasse o atual status quo da sociedade britânica. A união de fatores como estabilidade econômica, alta taxa de educação e segurança social têm se mostrado ingredientes que afastam os cidadãos comuns da fé. “Existe uma conexão automática entre a riqueza e um aumento dos sem-religião. Geralmente, países mais desenvolvidos são menos religiosos. A única exceção são os Estados Unidos”, aponta David Voas, professor de Estudos da População na Universidade de Manchester. Segundo o pesquisador, a tendência natural é que a sucessão das atuais gerações não tenham ligação com a religião. “As igrejas continuarão como uma instituição importante por um tempo ainda, mas acredito que a prática de cultos logo será tida como algo peculiar e estranho diante dos olhos da sociedade.”
Crendo contra os próprios olhos, a jovem pastora batista Dawn Brown tem procurado estratégias para mudar essa realidade. Depois de trabalhar em uma grande igreja batista – lembrando que grande, no padrão britânico, é uma comunidade com, por exemplo, 300 membros –, em setembro de 2000 ela encontrou o desafio de aumentar a freqüência de uma pequena comunidade em Markyate, na periferia de Londres. Na época, a Igreja Batista de Mar­k­yate possuía apenas oito membros e, nos melhores dias, apareciam no máximo 12 pessoas. O futuro do atraente e centenário prédio, construído com pedras, parecia o mesmo de dezenas de outros templos espalhados pela Inglaterra: a venda para utilização no comércio ou como residências. “Quando cheguei, encontrei pessoas idosas, mas perseverantes na idéia de que Deus tinha um plano para a comunidade”. A primeira ação da ministra foi prática, bem ao estilo inglês. As reuniões foram transferidas do templo para uma sala menor, mais quente – nos dois sentidos, o físico e o espiritual. “A mudança nos deu a sensação de que éramos mais próximos e acolhedores”, conta a pastora.
A segunda decisão foi mais drástica. Dawn, seu marido (que não é pastor) e dois filhos adolescentes se mudaram para a pequena comunidade em Markyate, a menos de duas quadras do prédio da igreja. Foi a primeira vez, em 30 anos, que um pastor morava na localidade. O resultado das duas ações é visto a olho nu. Hoje, a Igreja Batista de Markyate recebe em média 70 pessoas por culto. Além disso, a jovem evangelista tem investido em programação para as crianças, adolescentes e jovens. Está até organizando a primeira viagem missionária para a Romênia, só com os jovens da congregação, para agosto deste ano. “Reconheço que, estatisticamente, a Igreja na Inglaterra esteja diminuindo”, diz ela. “Eu acredito que Deus é quem a constrói.”
“Precisamos de evangelismo”Mas, sucessos pontuais como o da congregação de Markyate não são suficientes para vislumbrar a forma pela qual o Cristianismo irá sobreviver nas Ilhas Britânicas. Uma coisa parece certa: seja qual for o futuro da Igreja Cristã, ela terá que aprender a conviver com novas realidades. Uma delas é o avanço de outras crenças. O aumento do número de imigrantes em solo inglês, por exemplo, tem feito aumentar de maneira perceptível a quantidade de práticas religiosas não-cristãs. Dos grupos religiosos, os muçulmanos são os que mais crescem em números percentuais. Eles já são quase três por cento da população, ou seja, o segundo maior segmentos depois dos cristãos – com a diferença de que são muito mais aguerridos na defesa de sua fé e muito mais envolvidos em práticas devocionais rotineiras. Em seguida, vêm os hindus, com 1% da população britânica, de pouco mais de 60 milhões.
“Há um bom tempo o Reino Unido é uma sociedade formada por vários credos e isso tem um impacto na sociedade e na maneira como ela vê a fé”, comenta o reverendo Nick Baines, bispo de Croydon, ligado à Igreja Anglicana. Diante desse desafio, a Igreja Metodista e a Igreja Oficial da Inglaterra criaram um site batizado de Fresh Expressions, ou, em bom português, “expressões novas”(www.freshexpressions.org.uk). Nele, é possível visualizar mais de 5 mil novas expressões da igrejas, ou, em outras palavras, formas de culto. Além disso, segundo o religioso, muitas igrejas que participam do movimento possuem um mix de cultos para receber pessoas de culturas diferentes. Defensor de carteirinha desse novo movimento, que está se formando no Reino Unido desde 2004, Baines sabe que seu país carece de conhecer o nome de Deus. “Precisamos de evangelismo”, afirma. Mas mantém-se otimista em relação ao futuro da Igreja na Inglaterra. “Ainda existe um grande número de cristãos fiéis que fazem trabalhos significativos em prol da sociedade”, destaca. “Situações difíceis fazem os cristãos se tornarem mais criativos sobre sua fé e a maneira como comunicá-la.”
Avivamento segmentadoNa contramão de declínio das confissões cristãs históricas no Reino Unido, o segmento pentecostal tem experimentado crescimento. Nada que se compare ao avanço estatístico verificado, por exemplo, na América Latina – mas, ainda assim, o fenômeno é digno de nota na Grã-Bretanha. Igrejas de linha teológica avivada, freqüentadas por estrangeiros que vivem no país – tanto os legais quanto os clandestinos – têm se multiplicado no país, tanto na quantidade de locais de culto como de membros. O governo britânico calcula que existam cerca de 250 mil estrangeiros em situação ilegal. Mas, segundo a Associação Brasileira no Reino Unido (Abras), o número é bem maior. A entidade calcula que haja mais de 130 mil brasileiros só em Londres. Oficialmente, o número não passa de 8 mil na cidade e 15 mil em todo o país.
É justamente com uma freguesia estrangeira, latinos e africanos principalmente, que as igrejas pentecostais e neopentecostais têm se fortalecido. Bem conhecida no Brasil, a Igreja Universal do Reino de Deus segue na Inglaterra os mesmos moldes – seis cultos diários, campanhas de libertação e milagres e os chamados desafios de fé. O pastor da Universal na cidade de Luton, o paulista Miguel (ele não revela o sobrenome), diz que a maioria dos freqüentadores são, além dos brasileiros, portugueses e angolanos. “Mas os ingleses também têm vindo, pois gostam do jeito da igreja”, garante.
Bem mais expressiva, tanto pelo tamanho como pelo estilo dos cultos – algo entre os batistas do Brooklin, nos Estados Unidos, e a Assembléia de Deus no Brasil –, é a primeira igreja afro-caribenha da cidade, Calvary Church of God in Christ. (algo como Igreja da Convocação de Deus em Cristo). Com capacidade para receber 2 mil pessoas, a congregação, surgida em 1960, é liderada pelo bispo Alvin Blake. Além de muitos membros de origem caribenha e africana, chama a atenção a maciça presença de jovens e crianças. “Recebemos visitantes de toda parte do mundo que moram na Inglaterra. Entretanto, sendo um líder afro, as pessoas com a mesma origem se sentem mais à vontade entre nós”, conta o bispo. A maneira entusiasmada e exuberante do louvor também acaba assustando muitos ingleses, acostumados com as celebrações litúrgicas da tradição anglicana. “A cultura tem muita influência na fé das pessoas”, completa Blake.
Por Renata Sturm
Fonte: Cristianismo CriativoVia: http://www.guiame.com.br/

sábado, 24 de abril de 2010

Internet Evangelism Day 26/04/2010



Internet Evangelism Day
25/04/2010
Ore, participe e divulgue!

Os vídeos abaixo foram selecionados, para serem utilizados nesta grande mobilização mundial de Cristãos que é o Internet Evangelism Day, mobilização esta que visa evangelizar o maior numero de pessoas possíveis através da rede mundial de computadores, os links sugeridos abaixo tratam de clipes que podem ser utilizados em mensagens via Orkut, facebook e outros!
Não perca a oportunidade de abençoar pessoas se não com esses, mas, com outros vídeos que possam transmitir de uma forma objetiva o evangelho transformador de Jesus Cristo!

Secretaria: Admcl Brighton & Hove “Onde uma Família espera por você”

Vídeos postados no Youtube

Clipe sorria
http://www.youtube.com/watch?v=nrtXXX1pbtc


Eu Te amo Tanto
http://www.youtube.com/watch?v=QcqpzwEh_tA


Deus do Impossível- Trazendo a arca
http://www.youtube.com/watch?v=l9TlSz-vW60


Faz um milagre em mim
http://www.youtube.com/watch?v=RINj-Nx-tv0

Life House Everything’s
http://www.youtube.com/watch?v=cyheJ480LYA


Para maiores informações acesse os seguintes sites

http://www.internetevangelismday.com/

Link para informações em Português
http://www.avivamentoja.com/pmwiki.php?n=Recursos.IEDay

terça-feira, 16 de março de 2010

Campanha Mundial de Oração 2010 !!!!!!!

No mês de maio a Admcl Brighton & Hove participara da Campanha Mundial de Oração, que vem sendo realizada anualmente em mais de 200 países em todo mundo.
A ação segundo a liderança da Igreja possui como objetivo estimular seus membros a esta maravilhosa pratica que por muitos tem sido esquecida ou mesmo não realizada.
Em breve maiores informações quanto a esta grande realização.

Secretaria Admcl Brighton & Hove

Veja o video da campanha clicando aqui !

http://www.youtube.com/watch?v=qvaYaCZLV-E

terça-feira, 9 de março de 2010

Kirk Franklin e Amigos Campanha por Haiti



Neste vídeo o ministro de louvor americano Kirk Franklin, com amigos gravam musica em prol do povo Haitiano que foram atingidos por um grave terremoto recentemente. Oremos por estes, assim como por outras nações como o Chile,moradores da Ilha da Madeira e de outros lugares do mundo que foram atingidos nos últimos dias por fenômenos da natureza, entendemos que tudo isso indica a volta de Cristo com isso desempenhemos nosso papel de intercessão enquanto possível.

Para ver o video clique no link a seguir: http://www.youtube.com/watch?v=ugJzTWZ2aFk


Secretaria: Admcl Brighton & Hove

sábado, 6 de março de 2010

É com grande prazer e satisfação que faço menção de tão singular data que é o Dia Internacional das Mulheres 08 de Março, minhas orações e desejos são para que Deus continue livrando e guardando a cada uma delas de uma forma especial.
Meu carinho aquelas que são Mães, esposas,avós ,amigas, protetoras, profissionais dedicadas em fim a todos que Deus em Cristo possa vos abençoar. Parabéns pelo seu dia!

Pr Edson Junior

Pr Edson Junior

video

Pr Edson Junior Admcl Brighton & Hove Ministrando a palavra Dezembro de 2008.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Não perca esta oportunidade !




A ADMCL BRIGHTON & HOVE cumprindo seu objetivo de dar apoio a comunidade Brasileira em Brighton e cidades vizinhas, convida a todos para participarem do curso de inglês “Challenge” o qual iniciara no próximo dia 12/02/2009.
O curso “Challenge” nasceu com a proposta de auxiliar pessoas que ao chegarem neste país tem como primeiro desafio aprender o idioma local, alem de lidar com questões adversas do cotidiano.
Maiores informações entre em contato conosco 0785 696 7272 , 078 9279 1800,ou envie-nos um e-mail para admclbrighton@yahoo.com.br com o titulo curso challenge, ou ainda deixe um depoimento em nossa pagina no Orkut ADMCL BRIGHTON.

Challenge Course “ Insista você pode”

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Aconteceu na ADMCL BRIGHTON & HOVE



Aconteceu no dia 05/02/2010 o primeiro encontro de Mulheres da ADMCL BRIGHTON & HOVE a noite foi marcada pela presença de Deus e contou com a participação de varias mulheres que compareceram neste evento a fim de terem maiores experiências com Deus. Destacamos a brilhante participação da preletora do evento Danieli de Lima a qual conduzida pelo Espírito Santo ministrou com autoridade e graça da parte de Deus.
A líder da rede de mulheres Missionária Estela disse estar muito satisfeita com o resultado do encontro, pois, o mesmo foi um canal de grandes bênçãos para todas participantes;aproveitou ainda para convidar todas as mulheres que vivem em Brighton e cidades vizinhas a compor este grupo que se reúne todas as segundas-feiras a partir das 7 pm no espaço da “ Baptist Church” Montpelier Place BN1-3BF.
Fonte: Secretaria ADMCL BRIGHTON & HOVE

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

1º Encontro de Mulheres ADMCL BRIGHTON & HOVE


Ajude o Haiti !


A ADMCL BRIGHTON & HOVE vem através desta informar que se solidariza com o povo Haitiano tendo em vista a terrível situação vivida por estes nos últimos dias, conclamamos nossos membros e amigos a interceder em oração por este povo, carente da graça e favor Divino.
Informamos a todos que ajudas em teor financeiro também são possíveis através dos seguintes meios os quais certificamos estarem de fato envolvidos neste grande desafio de ajuda humanitária.

Cruz Vermelha: Está recebendo doações em dinheiro feitas por depósito bancário e via celular. Doações materiais ainda não estão sendo aceitas, devido à dificuldade de chegar e estocar os materiais no pais. As informações seguem abaixo:Nome: Comitê Internacional da Cruz VermelhaBanco: HSBCAgência: 1276CC: 14526-84CNPJ: 04359688/0001-51 http://www.redcross.org/

Embaixada da República do Haiti: também está recebendo doações em dinheiro.- Nome: Embaixada da República do HaitiBanco: Banco do BrasilAgência: 1606-3CC: 91000-7CNPJ: 04170237/0001-71

ONU- avisa que, por enquanto, não está recebendo doações de objetos, pois é difícil enviar para o Haiti. Para fazer doações em dinheiro, use o link abaixo
http://www.supportunicef.org/site/pp.asp?c=9fLEJSOALpE&b=1023561


Hope for Haiti NOW: Site criado especialmente para arrecadar fundos para o país – https://hopeforhaitinow.org/Default.asp

Fundo Clinton-Bush: Fundo para doações criado pelo governo americano, sob direção dos ex presidentes Clinton e Bush – http://clintonbushhaitifund.org/
“Não perca oportunidade de contribuir com esta causa que Deus lhe abençoe!”

Is 41:6 “Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te”

Atenciosamente: Secretaria ADMCL BRIGHTON & HOVE
“Onde uma família espera por você”

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010


Novo Blog

Com o objetivo de melhor informar nossos membros e amigos sobre nossas atividades a Admcl Brighton & Hove coloca a disposição de todos o seu mais novo blog acesse, deixe suas criticas e sugestões para que possamos melhorar nosso trabalho.

Secretaria Admcl Brighton & Hove

Pedidos de Oração !

Paz de Cristo!

Se você esta passando por alguma crise, dificuldade ou mesmo precisa de ajuda entre em contato conosco e faça seu pedido de oração pelo fone 0785-696-7272, se preferir pode nos enviar uma mensagem de texto para o mesmo numero com seu pedido, ou nos envie um e-mail para admclbrighton@yahoo.com.br com o titulo pedido de oração. Para melhor atende-lo damos-lhe a opção de deixar seu pedido por depoimento em nossa pagina no Orkut Admcl Brighton & Hove, estaremos à disposição 24 horas por dia entre em contato e que Deus te abençoe assim como sua família com as mais ricas bênçãos do Céu.